Efémero q.b.: Curadoria e Comunicação de Dados em Artes Digitais

Mesa redonda

A assunção de que os artefactos artísticos digitais são, por natureza, objetos efémeros, performativos e até circunstanciais não dispensa uma reflexão sobre dispositivos que contribuam para a promoção de uma memória da arte digital, entendida em sentido amplo. Neste contexto, pretende-se encetar um debate amparado em princípios afins ao campo epistemológico das Humanidades Digitais que equacione a necessidade de curadoria dos dados gerados pelos artefactos e suas possibilidades de comunicação, problematize práticas e discuta soluções.

Mirian Tavares (moderação)
Pedro Alves da Veiga
Manuel Célio Conceição
Sandra Boto
Carla Castro (a confirmar)